A formação de preços na pequena empresa

Normalmente ao ser questionado sobre como precifica seus produtos o microempresario normalmente resume sua metodologia, como sendo: Compro por R$ 20,00 e vendo por R$ 40,00″Com essa declaração o micro empresario define com poucas palavras aquele que é o método de precificação preferido pelos administradores de pequenos negócios.

O percentual aplicado pode, até, variar de empresa para empresa, mas o procedimento adotado permanece quase que invariavelmente o mesmo: duplica-se ou triplica-se o preço de custo.

Á primeira vista, os especialistas mais exigentes e habituados aos rebuscados instrumentos de precificação adotados nos empreendimentos de maior porte podem considerar o sistema empregado, como um procedimento de alto risco, quase um suicídio da pessoa jurídica.

Ninguém duvida que seja, mesmo, um procedimento arriscado. No entanto, também, não vamos exagerar. Reconheçamos que o método simplificado seguido pelas empresas de pequeno porte pode, até, gerar resultados satisfatórios, desde que a “conta simples” da empresa, na verdade, não seja, tão simples quanto parece.

No mundo real, só alguém muito despreparado poderia compor preços de venda consultando, apenas a si mesmo, assim deve-se pressupor que  o empresário tenha analisado, ainda que superficialmente, as condições de competitividade do seu produto em termos de custo, de vantagens oferecidas ao consumidor e dos preços dos seus concorrentes mais diretos.

Ninguém que possua um mínimo de bom senso recomandaria para uma pequena empresa a adoção de um sistema complexo e dispendioso de fixação de preços de vendas, coisa que, nas grandes empresa, chega a envolver equipes completas de especilaistas em vendas, marketing, finanças, pesquisas de mercado etc., além de demandar um poder de delegação de tarefas que somente é acessível aos altos executivos das megaempresas.

Entendemos que o realinhamento de preços (aumentos ou reduções) visam prioritariamente aumentar ou manter a lucratividade da empresa, o que se busca, ao alterar os preços de vendas é a melhor combinação entre preços e volumes vendidos.

A combinação mais lucrativa define o nível do preço a ser escolhido entre diversas alternativas possíveis. O estudo dessa combinação é muito desejável, porque, conforme se sabe, a quase totalidade dos produtos e serviços oferecidos em mercados de alta competitividade apresenta uma relação inversa entre os seus preços e seus volumes de vendas, sendo esse fenômeno denominado de elasticidade de procura: quanto maior o preço, menor o volume vendido; quanto menor o preço maior o volume das vendas.

É necessário desenvolver, pelo menos, uma noção aproximada dessa relação preço-volume, coisa que não é dificil para o pequeno empresário que tenha conhecimento adequado das condições do mercado em que opera.

A nossa preocupação com a defesa da simplicidade administrativa das pequenas empresas não significa que os procedimentos mais técnicos da formação de preços devam ser por eles desprezados.

Mesmo não atingindo a precisão desejada, os procedimentos mais refinados, representam um avanço significativo sobre os métodos mais simples recomendados para as pequenas empresas, gerando, via de regra e apesar de sua exatidão apenas relativa, resultados mais confiáveis e mais susceptíveis de controle eficiente.

Assim, se houver oportunidade e interesse, o pequeno empresário agirá bem dedicando o pouco tempo livre de que dispuser ao estudo e à pratica das técnicas mais avançadas e complexas da formação de preços.

Isso resultará em decisões melhor fundamentadas, menores riscos e maior aproveitamento das eventuais oportunidade de negócios mais rentáveis.

Comentários

  1. Helio Rodrigues Araujo

    O empregado, candidato a cargo eletivo do seu Sindicato Profissional goza de estabilidade no emprego desde seu registro até um ano após o término do seu mandato. Caso não seja eleito, desde o seu regristro até a eleição.
    Perguntas:
    1 ) A estabilidade provisória é estendida também ao empregado que concorre, como candidato, a cargo eletivo na Federação Nacional que agrega os Sindicatos Estaduais, ou não ? Se positiva, a Federação dever comunicar ao empregador que seu empregado concorre a cargo eletivo na Entidade. Se eleito, a Federação deve comunicar ao empregador o resulado da eleição? Deve comunicar também o tempo do mandato? Neste caso, a estabilidade é prorrogada até um ano após o término do mandato?
    2) A estabilidade provisória é estendida também ao empregado que concorre, como candidato, a cargo eletivo no Conselho Nacional da sua profissão, ou não ? Se positiva, o Conselho dever comunicar ao empregador que seu empregado concorre a cargo eletivo na Entidade. Se eleito, o Conselho deve comunicar ao empregador o resulado da eleição? Deve comunicar também o tempo do mandato? Neste caso, a estabilidade é prorrogada até um ano após o término do mandato?

    Caro Raul Lamas
    1) Todos os seus questionamento tem sim como resposta.
    2) Todos os seus questionamentos tem Não como resposta. São duas coisas bem distintas, e a estabilidade só tem previsão legal através do sindicato e não do Conselho de profissão regulamentada.

    um grande abraço e sucesso

    Hélio R. Araújo

  2. Helio Rodrigues Araujo

    BOA TARDE

    Primeiramente quero parabenizar este grande trabalho que vc vem realizando .exelente
    E gostaria de saber qual o valor maximo de capital social que uma empresa individual pode ter ?
    Atenciosamente,
    Claudiane – ES

    Cara Claudiane, não existe na legislação previsão de capital social máximo ou minímo em uma empresa individual, depende da atividade que ele vai desempenhar, pode ser feito um estudo para se definir esse valor minimo ou máximo.

    um abraço e sucesso

    Hélio R. Araújo

  3. Helio Rodrigues Araujo

    Fernando Souza questiona

    Bom dia, gostaria de saber se você tem um artigo falando sobre custos na produção de camisas, como calcular os custos diretos,indiretos e mão de obra?
    Quanto a industri textil gasta para produzir camisas?
    Fico grato desde já pela atenção,e agradecido se puder me ajudar.

    Fernando Souza

    Artigos falando sobre custos existem muitos a disposição, o que o sr precisa entender é que:
    Custos diretos, são aqueles que podemos identificar corretamente e diretamente com o produto.
    Custos indiretos, são aqueles que não podemos identificar diretamente com o produto.
    Essa questão de quanto a industria textil gasta pra prouzir camisas é impossível de responder, pois cada industria tem seus próprios custos fixos e variáveis, conforme sua estrutura e forma de produzir. Essa situação de controle de custos tem que ser feita individualmente e constantemente, basta manter um controla. Procure um contador de sua confiança que ele com certeza o ajudara no controle desses custos.

    um abraço e sucesso

    Hélio R. Araújo

Comente