Origem dos Recursos Financeiros nas Empresas

Capital Próprio ou Capital de Risco ou Capital social é o principal recurso financeiro de uma empresa, subscrito e integralizado pelos quotistas ou acionistas fundadores, geralmente também controladores da mesma, adicionado de aumentos de capital subseqüentes.

No caso das instituições sem fins lucrativos o capital próprio é aquele doado pelos fundadores e acrescido também do oriundo de doações subseqüentes.

Capital Subscrito é aquele que o acionista ou quotista se compromete a integralizar, para formação do Capital Próprio, dentro do prazo estabelecido em Assembléia Geral Extraordinária (nas sociedades por ações) ou no Contrato Social das demais sociedades.

Capital Integralizado é o dinheiro colocado à vista ou a prazo pelos acionistas ou quotistas de uma empresa e que formou o Capital Próprio, de conformidade com regras de subscrição geralmente estipuladas em Ata de Assembléia Geral Extraordinária realizada pelos acionistas ou em Contrato Social firmado pelos quotistas.

Capital a Integralizar é o capital subscrito e ainda não integralizado ou que será integralizado em parcelas.

Capital Aberto – é o capital das sociedades por ações (“sociedades anônimas”) cujas ações são negociadas em bolsas de valores, tendo geralmente grande número de acionistas. As empresas constituídas na forma prevista na Lei nº 6404/76, com suas alterações posteriores, para terem suas ações negociadas nas Bolsas de Valores necessitam de autorização especial da Comissão de Valores Mobiliários, de conformidade com os termos da Lei nº 6385/76.

Capital Fechado – é o capital de sociedades por ações (“sociedades anônimas”) cujas ações não são negociadas em bolsas de valores, tendo geralmente pequeno número de acionistas.

Capital de giro ou Capital circulante ou Capital de trabalho é o recurso financeiro geralmente obtido em instituições financeiras nacionais ou estrangeiras, estabelecidas no país ou no exterior, necessário para financiar os gastos de uma empresa durante seu ciclo produtivo, ou seja, até o recebimento do produto das vendas.

Capital fixo é a parte do capital de uma empresa aplicado em máquinas, equipamentos e imóveis, que passam a fazer parte do Ativo Permanente e geram os “custos fixos de produção”, que são rateados em razão da quantidade de unidades produzidas, para, adicionados dos “custos variáveis”, formarem os custos dos produtos ou das mercadorias postos à venda, depois de acrescentada a margem de lucro e somados os impostos indiretos e diretos.

Comentários

  1. Alexandre

    Olá, Tenho uma empresa,não tenho conhecimentos específicos de contabilidade, só queria entender algumas coisas do Capital Social. O capital social vai aumentando de valor conforme a empresa vai crescendo? O que devo considerar para ganhos desse aumento? Com o aumento do Capital Social a empresa passa a pagar alguma coisa a mais? Qual a importância do Capital Social ser atualizado?

    Desde já Obrigado

  2. Helio Rodrigues Araujo

    Alexandre

    Não, o que vai aumentando é o patrimônio liquido da empresa, que vem a ser o capital social somado com os lucros acumulados. Sempre que a empresa tem lucro liquido ele aumenta o valor do patrimônio liquido que é o grupo de contas que contém o capital social mais os lucros acumulados. Somente a Contribuição sindical é que toma como base de cálculo o valor do capital social para determinar o valor a recolher. O capital deve ser atualizado no minimo uma vez a cada ano para distribuição correta dos lucros para cada um dos sócios.

    Hélio R. Araújo

Comente