A decisão de empreender

O atual cenário de negócios tem apresentado diversos desafios às organizações e aos indivíduos que nelas atuam. Um desafio que afeta os indivíduos é a necessidade de sua inserção eficaz e conseqüente manutenção no mercado de trabalho. Em razão de diversos fatores, a inserção e a manutenção no mercado de trabalho por meio da concepção e condução do próprio negócio vêm se tornando cada vez mais uma alternativa a ser considerada além da geração de emprego nos setores público e/ou privado.

A essa nova forma de inserção dá-se a denominação de “empreendedorismo”, aqui definido como o elemento que motiva os empreendedores a tomarem decisões e a realizarem ações para materializar seus sonhos e projetos.

Um fator essencial, após a decisão de empreender, é a forma de sua materialização. Todo empreendimento novo requer um tempo de maturação que variará de acordo com circunstâncias específicas. Muitas vezes esse aspecto não é observado pelos futuros empreendedores. Algumas razões para esse erro são:

  1. O futuro empreendedor pode se encantar ou se deixar seduzir ao ouvir algumas experiências de sucesso e, de forma simplista, concluir que apenas o voluntarismo, o esforço pessoal e um pouco de sorte serão suficientes para que tudo dê certo;

  2. O individuo sempre trabalhou em organizações e, de uma hora para outra, se vê desempregado. A depender de seu momento na carreira profissional, sua qualificação técnica e principalmente sua idade, nem sempre será possível uma nova inserção no mercado de trabalho na mesma posição até então existente, e o individuo se vê obrigado a iniciar uma atividade por conta própria;

  3. Ainda na situação acima, o individuo possui habilidades técnicas e profissionais que tornam seu trabalho reconhecido, elogiado, entretanto, o desconhecimento ou a pouca importância dada a alguns elementos essenciais sobre negócios, tais como o princípio da entidade, o desconhecimento ou a pequena habilidade no trato dos assuntos financeiros, a dificuldade em calcular custos e preços, e o desconhecimento ou a pequena importância dispensada para a necessidade e a importância de alguns controles operacionais, como contas a pagar, a receber, estoques, fluxo de caixa, dentre outros, podem contribuir para que o futuro empreendedor venha num futuro não muito distante, a engrossar as estatísticas de empresas que não sobrevivam aos primeiro anos de vida;

Os futuros empreendedores precisam ter em mente que, ao abrirem uma empresa, a Entidade deve ser distinta da figura de seus proprietários, precisa ter vida própria para gerar os lucros esperados que, realizados financeiramente, permitirão que o empreendedor tire seu sustento. Muitos empreendedores desconhecem ou não compreendem isso e, em diversas circunstâncias, contribuem de maneira decisiva para a continuidade da Entidade.

Do ponto de vista de sua sobrevivência, uma Entidade precisa gerar resultados positivos que, realizados financeiramente, deverão ser suficientes para repor os recursos consumidos nas atividades e para produzir um excedente que permita remunerar os proprietários e/ou o reinvestimento para a manutenção ou o crescimento da Entidade.

Conceber e levar um empreendimento ao sucesso é uma decisão que exige tempo, esforço, investimento e obstinação do indivíduo. Muitas vezes, os empreendedores negligenciam esses aspectos, pois não consideram ou não percebem que precisarão de recursos para a sobrevivência pessoal, até que sua idéia floresça e dê os primeiros frutos. Essa negligência faz o empreendedor contribuir de forma decisiva para a descontinuidade de sua idéia. Para esses casos, existe conhecimento, ferramentas e outros recursos que poderão ajudar o futuro empreendedor a obter o sucesso esperado, uma parte desse conhecimento das ferramentas e de outros recursos requeridos, são oferecidos pelos contabilistas.

Tomada a decisão de empreender, será o momento de buscar a melhor visão do que será o futuro do empreendedor e de seu negócio. Analisando a situação por uma perspectiva cronológica, inicia-se a fase pré-operacional da Entidade, momento no qual diversas ações deverão ser empreendidas para dar partida ao negócio. Dentre as diversas ações, boa parte delas é de natureza contábil, momento a partir do qual o contador poderá oferecer sua contribuição ao sucesso dos empreendedores.

Comente